Sites Grátis no Comunidades.net
HISTÓRIA DA IGREJA COMO EXTENSÃO DO IMPÉRIO ROMANO

 

 livro sobre a inquisição para baixar 

 HISTÓRIA DA ICAR, CESAROPAPISMO, ISLAMISMO E COMUNISMO,  COMO CONSEQUÊNCIAS DA PERMANÊNCIA DO IMPÉRIO ROMANO NA ATUALIDADE PELA PERSPECTIVA PROFÉTICA DE DANIEL  E APOCALIPSE 

Sodré Neto 

 

 

 

 

 

 

 

 

RESUMO: O fanatismo reacionário por justiça e ordem,  em grande parte justificado pelas invasões "bárbaras" e toda desordem na "civilização" romana, gerou um pedido do monstro do império romano a Igreja para que esta o controlasse (o que foi legislado em 529 DC) e mantivesse seu poder até os dias hoje; deixando em seu rastro milhões de assassinatos , atrocidades, guerras , hipocrisia cristã e sobretudo, o surgimento do islamismo, comunismo e outras reações extremas que buscavam e ainda buscam a vingança.

 

INTRODUÇÃO: Neste trabalho tentamos demonstrar a causa de muitos males na humanidade , um dos exemplos mais atuais e antigos ao mesmo tempo, é como o genocida ultra-católico, imperador Justiniano , demonstra ter gerado o substrato do surgimento do islamismo e sua mentalidade extrema e reacionária, formalizada em 632DC, poucos anos depois de sua morte em 565DC . Quando olhamos estes mandamentos do Alcorão no contexto do cristão hipócrita , contraditório ao espírito de Cristo, legalista e autoritário imperador Justiniano entendemos um pouco mais o "porquê" dos mesmos. Estudar portanto esta mentalidade pretensamente boa, pretensamente em nome da ordem e de Cristo, pretensamente justificadora de atos violentos, torna-se algo valioso para entendermos poderes que mais enganaram e mais enganam em toda historia da humanidade, e que mais deixam sequela insolúveis para a convivência humana.

OS 20  MANDAMENTOS TERRÍVEIS DO ALCORÃO SÃO MAIS ENTENDIDOS QUANDO ESTUDAMOS A HISTÓRIA PREGRESSA DE JUSTINIANO

 

 


Tu deves estuprar, casar e divorciar meninas na pré-puberdade. Alcorão 65:4, 4:3


Tu deves ter relações sexuais com escravas sexuais e trabalhadoras escravas. Alcorão 4: 3, 4:24, 5:89, 33:50, 58: 3, 70:30


Tu deves bater nas escravas sexuais, nos trabalhadores escravos, e nas esposas. Alcorão 04:34


Tu deves ter quatro testemunhas masculinas muçulmanas para comprovar um estupro. Alcorão 24:13


Tu deves matar aqueles que insultam o Islão ou Maomé. Alcorão 33:57


Tu deves crucificar e amputar não-muçulmanos. Alcorão 5:33, 8:12, 47: 4


Tu deves matar os não-muçulmanos para garantir receber as 72 virgens no céu. Alcorão 9: 111


Tu deves matar quem deixar o Islã. Alcorão 2: 217, 4:89


Tu deves decapitar não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 47: 4


Tu deves matar e morrer por Alá. Alcorão 9: 5


Tu deves aterrorizar os não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 8:60


Tu deves roubar e furtar os não-muçulmanos. Alcorão Capítulo 8 (Saque / Espólios de Guerra)


Tu deves mentir para fortalecer o Islã. Alcorão 3:28, 16: 106


Tu deves lutar contra os não-muçulmanos, mesmo que você não queira. Alcorão 2: 216


Tu NÃO deves tomar os não-muçulmanos como amigos. Alcorão 05:51


Tu deves chamar os não-muçulmanos de porcos e macacos. Alcorão 5:60, 7: 166, 16: 106


Tu deves tratar os não-muçulmanos como as criaturas mais vis, que não merecem misericórdia. Alcorão 98: 6


Tu deves tratar os não-muçulmanos como inimigos jurados. Alcorão 4: 101


Tu deves matar os não-muçulmanos por não se converterem ao Islão. Alcorão 09:29


Tu deves extorquir não-muçulmanos para manter o Islão forte. Alcorão 09:29.

 



Achar um culpado, um diabo, um sistema de coisas, como qual o maior culpado pela situação política, religiosa e social , não é tarefa fácil, mas parece que vejo um ponto em comum que precisa ser entendido e comentado .Trata-se da justiça conforme a lei, versus, a justiça conforme princípios .Pessoas que são especialistas em moral e ética, em direito e justiça, sabem que as leis , por mais que queiram estabelecer justiça, muitas vezes fazem o contrário, pois que dependendo das circunstâncias e casos , o princípio tona-se mais importante que a lei, e a reduz a uma referência apenas e não um absoluto, requerendo entendimento, bom senso, interpretações, jurisprudências, para compensar contradições que a própria lei cria.

Contudo ...Na prática isso pouco acontece, as leis se tornaram absolutas e obedecê-las passou a ser sinônimo de ser justo na cultura geral . As pessoas passam a colocar as convenções tradicionalmente aceitas e legalizadas como sendo justiça, e ai daquele que fugir destas leis. Daí produzimos:

1. Leis injustas respeitadas
2. Proibições ridículas (como da fosfoetanolamina)
3. Pessoas legalistas que são cegas a realidade que as cerca
4. Manipulação de leis, de regras, para beneficiar grupos maquiavélicos
5. Pessoas arrogantes que por seguirem leis enquanto praticam injustiças, se estabelecem como se estivessem corretas.
6. Miseráveis que por manterem suas consciências tranquilas na lei, enquanto transgridem seu princípio, dormem bem e encontram alento em suas debilitadas consciências
7.Um mar de lama de injustiças e corrupções cobertas por leis, regras e praxes em todas as instituições políticas, religiosas e acadêmico-científicas. Um terrível exemplo de leis na ciência explico neste vídeo que teve  700.000 visualizações) onde demonstro como milhares de soluções cientificas são impedidas enquanto outras venenosas são privilegiadas pelos criterios de exclusividade de fabricação e patentes.  
8. Exigências legais aos desafetos e interpretações permissivas aos correligionarios "aos amigos tudo, aos inimigos, a lei" Voltaire

E como dizia Paulo a 2000 atrás, “a lei, que estava enferma pela carne” “que era um bem, se tornou em mal” (*** Notem que ele falava das leis mosaicas e divinas dadas sob circunstancias da historia judaica, quanto mais estas palavras se aplicam a leis de forma geral)

Desta forma vemos como leis , quanto mais inflexíveis e distantes de seus principios, podem se tornar um extorvo para a a aplicação da justiça.

POR QUE CERTOS PAISES TEM LEIS MAIS INTELIGENTES QUE OUTROS

O sistema de impostos e de importação dos EUA é imensamente mais ágil que do resto do mundo. Tanto que é mais barato, ágil, seguro , as vezes, comprar produtos via Miame que diretamente dos produtores .
Quando perscrutamos a inteligência americana percebemos leis mais próximas ao princípio que elas existem, de forma que as leis se tornam servas do principio. Já no Brasil parece que é mais comum o contrário, as leis parece que visam atrapalhar os princípios!!! Duvida disso? Experimente exportar aqui...
A religião de um povo produz sua cultura, valores, dinâmica de ação , leis...
No novo testamento , houve ampla conscientização de que os cristãos deveriam substituir o ministério das leis, pelo ministério do espirito de Cristo habitando em nós , repetindo e lembrando seus ensinos e exemplos. Logicamente que as leis deveriam ser servas de Cristo e não o contrário. Da mesma forma leis devem ser servas de princípios e não o oposto.
Os países protestantes como os EUA, que tinham tal cultura bíblica protestante, luterana, de justiça por principio e não por norma em si, saíram na frente em termos de desenvolvimento em todos os aspectos (são os mais desenvolvidos do mundo) .
Alguns alegam que era devido ao alfabetismo que a Bíblia incentivou, mas penso ser muito mais que apenas este item, e destaco que um país estando com uma cultura mais próxima ao espirito de Deus, ou aos principios abstratos que regem as leis, e mais longe de tradições, convenções e leis antiquadas e inflexíveis ás diversas circunstancias, estará em grande vantagem para legislar de forma muito mais inteligente, dinâmica e justa.
Na história ocidental enxergamos um marco inicial fundamental para esta cultura centralizada em leis e descentralizada de princípios, quando o imperador déspota, assassino e altamente religioso partidarista , Justiniano (529-565) , refez todas as leis romanas, estabelecendo durante mais de milênio sua influência de como as coisas deveriam ser por meio de leis.
Talvez este ponto da historia seja o mais negro e de onde se originou imensas tragédias que ocorrem ainda hoje.
(ver mais em http://igrejaadventista.no.comunidades.net/historia-da-igreja-como-extensao-do-imperio-romano)

 


O quadro acima se refere a historia antiga e atual retratada (antes de acontecer)  pela  profecia de Daniel 2, ele descreve as sucessões de reinos desde o ano 600 ac no oriente médio e europa e suas colônias . Clicando na imagem você é direcionado ao artigo relativo a ela. 

As duas pernas de ferro se referem ao império romano que teve inclusive duas capitais, roma ocidental e constantinopla (nova roma) que no mundo antigo era mais importante que roma da europa (europa era chamada naquela época de quintal do mundo, roça, etc) 

Interessante observar que a profecia fala que o imperio romano cairia mas continuaria em meio a reinos fortes e fracos .


A citação abaixo parece resumir nossas observações assim:

Cambridge: Mediaeval Academy Of America, 1968.
DAGRON, Gilbert. Empereur et prêtre. Études sur Le “césaropapisme” byzantin. Paris:
Éditions Gallimard, 1996.

Em 395, o Imperador Teodósio dividiu o Império Romano entre seus dois filhos. Um, Honório, herdou o
Império Romano do Ocidente, com capital em Roma. O outro, Arcádio, recebeu o Império Romano do
Oriente, cuja capital era Constantinopla, atual Istambul. O último Império também ficou conhecido como
“Bizantino” devido à cidade de Constantinopla ser chamada de “Bizâncio” até 330, quando o Imperador
Constantino impingiu-lhe nova nomenclatura. No Império Bizantino, o governante acumulava as funções de
chefe de Estado (césar) e da Igreja (papa): essa forma de governo era conhecida por cesaropapismo. Seu
principal soberano foi Justiniano, que ficou no poder entre 527 e 565, período em que tentou reconstruir o
Império Romano mediante guerras de reconquista contra os bárbaros. Ele elaborou o “Código Justiniano”,
compilação de leis romanas que dispunha sobre a organização administrativa e dilatava o poder do Estado.
O cristianismo oriental divergia do ocidental em alguns aspectos, sendo por isso acusado de herético.
Acreditava-se, por exemplo, no monofisismo (a idéia de que Cristo não possui natureza humana, somente
divina) e no iconoclastismo (reprovação do culto de imagens sagradas). Em conseqüência dessas
discordâncias, a Igreja Católica cindiu-se, em 1054, entre o papado romano e o patriarcado de
Constantinopla, fato celebrizado como o “Cisma do Oriente”. Nascia então no Oriente a Igreja Ortodoxa. A
“queda de Constantinopla” representou o domínio da cidade pelos turcos otomanos liderados por Maomé II,
em 1453, acontecimento que pôs fim ao Império Romano do Oriente. http://download.uol.com.br/vestibular2/prova/ufc_historia1_2008.pdf


o
bs ***

 Não diria fim do imperio romano religioso cesaropapista do oriente, mas a tomada dele e instauração de um sistema religioso politico semelhante ao cesaropapismo, agora pelo islamismo;



 

 

Inquisição Protestante
Inquisição Joana D'Arc

 

 

 

VISÃO GERAL

 

ANO 31.............Jesus morre no ano 31

 

ANO 31-319.....Igreja se organiza e é perseguida por Judeus e Romanos até 319 quando imperador Constantino tem uma visão e

a Igreja passa a ser aceita pelo  império e a usufruir da riqueza e poder. Constantino era analfabeto e se converteu ao fim da vida por influencia de Helena, sua mãe. Ele tambem foi contrariado no concilio de Nicéia quando a igreja definiu algumas doutrinas.

 

Os imperadores acumulam poder politico e religioso nesta época

 

ANO 476 DC.....o imperio Romano ocidental cai  pelas invasões de reinos bábaros

 

ANO 529.........o imperador romano Justiniano , do imperio romano oriental (Constantinopla) vem ao ocidente resgatar o dominio mundial do imperio romano ocidental.

Ele realiza muitas guerras, genocidios e edifica grandes templos entre eles a Igreja de Santa Sofia que passa a ser o maior templo cristão por 1000 anos..ele depõe um papa ariano e elege um trinitariano.

Ele dá continuidade a cultura politico religiosa romana e ve na Igreja uma grande estratégia de resgate do poder romano

Ele dá poderes por lei  a Igreja sobre o imperio , para fiscalizar e vigiar funcionarios do imperio e para punir hereges (inicio não nominal da inquisição), ele cria leis e muda leis...o mundo cristao deveria se nortear ateh o dia de hoje mais por leis que pelo espirito das leis.

A Igreja herda o imperio Romano e se estabelece como poder temporal e eterno tambem

A igreja domina sobre reis e os senhores da terra e possui terras, estados pontificios, e muito poder

O poder nas mãos religiosas nunca foi uma idéia de Cristo que veio estabelecer o reino de Deus em nossos corações e não dominar o reino dos homens sobre nossos ombros

A Igreja matou

Incentivou mortes, guerras, cruzadas e tragedias

A Igreja torturou quem discordava dela

A Igreja se tornou um monstro

 

ANO 1500 a 1900 ...Reforma protestante e imigração principalmente para os EUA dos perseguidos ou em busca de liberdade

ANO 1600 A 1900 ...Diversas revoluções ocorrem depois da reforma protestante , revoluções gloriosas, equilibradas e a famosa revolução francesa anti-religiosa e assassina, que confisca os bens da Igreja e exila o papa que morre no fim da revolução em Malta.

ANO 1900 ATÉ HOJE .. A igreja recupera aos poucos seu poder e as igrejas protestantes diversificam e competem com o sacerdocio


 

 

 

Objetivos do Presente Trabalho

 

Estudar a historia da Igreja cristã, seus acertos, desvios e consequencias, nos ajudará a ter uma idéia dos servos de Deus católicos que foram fiéis e os que não foram fiéis a Deus, nos mostrando hoje uma lição para repetirmos historias e evitarmos tragédias

Além de tentar explicar as causas para movimentos islamicos,  céticos, esquerdistas e rebeldes no presente, de  demonstrar que todo sofrimento humano bem como crescimento de ideias greco-materialistas dominando a teologia, estava previsto em profecia de Daniel 7, 2, 8, e que pertencem a uma cronologia prevista por Deus,  que terá seu fim,  o  presente trabalho pretende também enfrentar uma onda de trabalhos,  ditos cientificos,  de historia,  que diminuiram vertiginosamente  o numero de mortos da inquisição e da atuação da igreja católica,  como tendo poder do estado para perseguir e punir hereges,  que remonta aos  anos 529-538, datas em que o grande imperador romano JUSTINIANO estabeleceu diversos  códigos (alguns seguidos até o dia de hoje)  incluindo o dever da igreja de punir hereges e fiscalizar os funcionarios do imperio.  

 

No oriente o imperio romano acumulava poder politico e religioso. Este modelo se estendeu para roma ocidental legislando a igreja como detendo este poder  sobretudo a partir de Justiniano, este modelo permaneceria no oriente, seja pelo cesaropapismo, seja pela sua substituicao no islamismo, onde a religiao tem forte tendencia de dominar o estado.

O cientificismo materialista e positivista tem enfatizado o valor das provas materiais para poder se afirmar quaisquer verdades , de forma que os numeros de mortos, torturados e prejudicados da inquisição e de outras tragedias humanas incentivadas direta e indiretamente pela cultura dogmática religiosa na idade média, tem sido diminuídos vertiginosamente, para não dizer , vergonhosamente em relação a verdade dos fatos. Tanto do lado cristao quanto do lado islamico, existe ignorancia de numero de cruzadas islamicas (em torno de 600) contra 13 cruzadas cristas. (Bill Warner)...esquerdistas tentam tambem diminuir numero de assassinatos comunistas, e assim por diante..cada ideologo defendendo seu time enquanto a verdade fica para depois...

Confiar que os proprios representantes dos assassinos de outrora  vão detalhizar , admitir, computar perfeitamente seus assassinatos é um ultrage a inteligencia humana, ou confiar que todos os assassinatos e toruras perpetradas durante mais de um milênio, estão quase perfeitamente documentadas , é uma afronta a historia dos fatos ocorridos.

Argumentos  de que a igreja não tinha tanto poder assim,  de que ela apenas fazia o papel de tribunal civil, que não havia telefones e e-mails de comunicação e isso diminuia sua atuação, e outros tantos lixos que ando lendo e assistindo por ai , deixam qualquer pessoa que compreende um pouco do poder que a igreja exercia e ainda exerce sobre as pessoas e sobre interesses politicos, do poder que a cultura se amolda a valores e regras religiosas em vigor, do poder que lideres consagrados e tidos como semi-deuses em toda historia exercem, deixam qualquer um que percebe este fato, perplexo em perceber como este poder ainda lidera os pensamentos até hoje, a ponto de querer mais uma vez nos enganar usando e favorecendo certos estratagemas acadêmicos, falaciosos e retóricos, muitos  na moda cientifista , positivista e materialista atual, como forma de se afirmar quase inocente e transformano o pedido de perdão vazio de devolução, do papa João Paulo II, como apenas uma desculpa de menor importancia.  

Para enfrentar tal tendencia de se afirmar apenas aquilo que os 45 mil pocessos disponibilizados pelo vaticano, permitem afirmações, recorremos ao principio uniformista que enxerga em fatos semelhantes do presente , um espelho do que aconteceu no passado, de forma que , o presente é um principio cientifico habilitado para enxergar não todo o passado, mas uma boa parcela do mesmo.

Por isto recorremos ao estudo do talibã, onde a religião rígida e déspota domina sobre o estado e a população, e percebemos paralelos  com a a forma de dominação da idade média que se dizia "cristã",  dando boa condição de , a  partir deste paralelo,  podermos calcular o numero de mortos, torturados, prejudicados e sequelados,  que semelhante sistema causou hoje e semelhantemente causou no passado. 

 

 

 

Historia da Igreja

 

 

O cristianismo oficial começou a se transformar em Constantino (313 DC), a partir dele começa uma união entre igreja e estado. Quando Roma ocidental caiu em 476 DC , a "Nova Roma" oriental (Constantinopla), fundada por Constantino, entraria em cena para tentar recuperar o poder perdido através da Igreja . A Igreja depois de passar po periodo de angustia e perseguição (Nero a Dioclessiano) agora encontrava o terr´´ivel descanso da riqueza nos braços de Constantino, ninguem mais, ninguem menos,  que o proprio imperador de Roma.

A Igreja se vê aliciada pela riqueza, pela pompa e o poder, se o sofrimento não tirou dela o cristianismo, certamente a riqueza a arruinaria.

Então eis que aparece a figura do imperador JUSTINIANO e sua esposa TEODORA,  e estes dois, depois de realizarem uma carnifinica com centenas de milhares de mortos (Nika, quase exterminio de  3 tribos arianas, perseguições a hereges), construirem templos, inclusive a Igreja de Santa Sofia que foi o maior templo católico por 1000 anos, também  concedem aos bispos o poder de "velar" sobre os funcionarios publicos, punir hereges e manter a igreja única, a fé única e se possivel o estado único. 63 anos depois da morte de Justiniano surge o islamismo.

 

A igreja então já acostumada ao poder e conforto desde Constantino, transformou-se agora oficialmente em um poder restaurador e fiscalizador do imperio  romano, dominador, impositor, déspota, politico, e assim sua transformação iniciada em Constantino se estabeleceu de forma a fundir Estado-Igreja em JUSTINIANO, as vezes alternando entre o poder e o evangelho de Cristo, como faz até hoje, conforme lhe convier.

Porém Deus tem sempre seus fiéis em todas as épocas,  e na época desta transição entre catolicismo que era  apenas uma simples e perseguida  igreja,   antes de Constantino , antes de Justiniano e a sua  parceria  para resgatar  o Imperio Romano ainda vivo, houve confronto e insurreição por parte de muitos contra o imperador, os quais foram destruídos e desapossados (Papa Silverio).

Estabelecida a CARTILHA JUSTINIANA  para a Igreja, códigos e leis dando as diretrizes gerais que foram seguidas (algumas até hoje), a igreja montou no trono dado por Justiniano e calvagaria sobre este poder até hoje , apesar de receber ferida mortal em 1798 quando perdeu significativamente este poder e atuação com as revoluções e reformas,  onde se destaca como ponto auge, o  "basta" da  revolução francesa em 1798, onde o papado foi fortemente abalado, mas não vencido.

Durante este periodo de 1260 anos entre 538 e 1798, muitas reações gloriosas internas da Igreja tentaram trazer de volta o cristianismo a mesma, tentaram trazer  "de volta ao evangelho" a muitos católicos, como as que vemos em Francisco de Assis, Boaventura, Domingos de Gusmão (ao tentar substituir as cruzadas por persuasão) e muitos outros como Dante Alighieri que entre suas obras, na "Divina Comédia", denuncia papas corruptos, imperadores e toda sorte de pecadores,  foi  contra os muitos estados pontifícios criados quando a Igreja queria ser dona tanto do poder temporal quanto do poder espiritual no céu e na terra, pois estes eram mais fiéis a Cristo que fiéis a ordem de coisas, contudo, estas muitas manifestações positivas aqui e ali, infelizmente só serviram para alimentar ainda mais a instituição católica romana  e torná-la juntamente com todos os seus líderes, bons e maus, suas doutrinas boas e más, seu poder, seu sistema politizado,  ainda mais divinizados, idolatrados, acima das escrituras, de Cristo, estabelecendo-se no lugar de Deus como toda idolatria eclesiológica o faz, se opondo ferozmente contra todos os contrarios, mesmo que estivessem defendendo a Deus, a Cristo e as sagradas escrituras.

 

O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus.2 Tessalonicenses 2:4

 

"E assim foi infligido no sul da França um dos mais ferozes massacres da história. Grupos de brigadas do norte pilhavam e saqueavam. Na Catedral de Saint-Nazaire, doze mil 'hereges' foram mortos... Aqueles que tentaram fugir foram cortados e mortos. Milhares mais foram queimados na estaca. Em Toulouse, o bispo Foulque levou à morte dez mil pessoas acusadas de heresia. Em Béziers, a população inteira de mais de vinte mil pessoas foi chacinada. Em Citeau, quando questionado sobre como os soldados deveriam distinguir os católicos dos cátaros gnósticos, o abade respondeu com seu cinismo afamado: 'Matem todos; Deus saberá quais são os seus'." [Thompkins, pág. 58].

 

 

..a maioria dos estudiosos coloca o começo da Inquisição oficial com o papa Teodoro I (642-649), que iniciou a prática de mergulhar sua pena dentro de vinho consagrado antes de assinar a sentença de morte dos hereges. [The Magic of Obelisks, de Peter Thomkins, pág. 55].

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=86p5B26hP1s

 

Esta idolatria da Igreja e insigneas denominacionais, fez  com que o cristão católico não adore exatamente a Deus, mas sua igreja, não obedeça exatamente a Cristo, mas as doutrinas da sua igreja, não estime exatamente os servos de Deus, mas o oficialato, os seus sacerdotes e os canonizados pela igreja,  os já falecidos lembrando os dizeres de Cristo "adornais o tumulo dos profetas" , não ame pessoas simples que Deus levanta, mas sobretudo seus representantes contratados bispos e pastores; Um desvio do espirito para a carne , da realidade sobrenatural para a realidade material . Isso tambem ocorre em todo institucionalismo religioso protestante que não raras vezes,  segue a mesma linha , formando assim a imagem, o espelho, a cópia, da ponta pequena do quarto animal de Daniel 7.

 

 

Tal dominio déspota gerado pela dobradinha Igreja-Estado, não somente no âmbito do catolicismo, mas depois de estabelecida a divisão da igreja anglicana, houve uma péssima experiência protestante no "dominio dos puritanos" , e toda esta historia  gerou a reação iluminista com seus extremos anti-clericais, a fatídica e monstruoso basta da revolução francesa, o anticristo de Nietzsche, o comunismo extremamente virulento assassino e sangrento, ideias frias do racionalistas, cientificismo e materialismo dogmático positivista,  que enxergaram na religião romana e em todas as suas cópias, a maior ameaça a liberdade do homem. Podemos perceber nitidamente nestas reações que ateísmo e ceticismo são meros filhos rebeldes de um opressão milenar da religião sobre os povos, e que se a religião houvesse agido conforme o evangelho, não fabricaria tantas reações em cadeia tendo como ponto em comum o ataque a a mesma generalizadamente.

 

 

Em certo sentido vemos como a profecia de Deus, relatada em Daniel 7 o qual aponta o quarto reino como Roma politica e a ponta pequena que abate 3 chifres deste animal (besta) como sendo a instituição de roma politico-religiosa por JUSTINIANO  em 538 DC, concorda com o diagnóstico iluminista, pois quem é o maior culpado pelo comunismo que o cristianismo egoísta? Quem é o maior culpado pelo ateísmo que a opressão religiiosa e sas contraições? Quem é o maior culpado de filhos rebeldes que o pai rigido e ultra-moralista? Quem é o maior culpado de um laicismo exagerado até educacional que a terrível união da igreja com o imperio romano de Justiniano? Quem é o maior culpado pelos movimentos igualitarios senão os movimeto segregacionistas? Quem é o maior culpado pelas iúmeras seitas concorrentes que a péssima administração de um monopólio exclusivista da fé?

O que mais produziria reações anti-religiosas que a propria religião medieval com suas mortes, torturas, cruzadas, inquisições, guerras e perseguições?

 

 

 

De forma que concluímos que o maior inimigo do cristianismo é ele mesmo, quando o cristianismo pervertido pelo poder e por desobediencias diretas ao espirito do evangelho.  O maior inimigo de Cristo é o cristão fiel,  não a Ele , mas a uma igreja que lhe trai os principios, um cristão sem Cristo, sem amor, sem humildade, sem Jesus, sem mansidão, sem sua meiguice e humildade..a maior ameaça vem de casa, a besta do apocalipse, o quarto animal com 10 chifres e uma ponta pequena , é pois a religião empossada de poder , violência, e arrogância, tanto católica quanto protestante, desde que não tenha Cristo, mas uma instituição e liderança adorada no lugar dEle, defendida no lugar dele, empossada no lugar dele, endeusada no lugar de Deus.

 

 

HISTORIA DA INQUISIÇÃO AMENIZADA HOJE


Muitos estudiosos tem aplicado a metodologia cientifica para exigir provas de crimes ocorridos a centenas e  milhares de anos atrás, e como temos apenas 45 mil processos e o vaticano abriu o que ele quis abrir daquilo que foi documentado, daquilo que não foi documentado ou perdeu-se, etc.. criou-se uma diminuição significativa entre estimativas antigas que relatavam mais de 70 a 100 milhões de mortos da inquisição para calculos presos mais a prova documental. Devemos entender que:

1.Foi determinado por lei a punição de hereges a partir de 538DC (ou seja a inquisição mesmo que ausente nominalmente, já existia desde esta época). A religião cria uma cultura de ação coletiva, quando a Igreja negou o evangelho da mansidão e não-violência para se submeter aos caprichos e um imperador violento, ela por assim dizer assinou embaixo de uma nova cultura que permearia todos os séculos seguintes.

2. Foram mais de 1260 anos punindo hereges, imagine que parte da imensa população mundial que nasceu e morreu neste período (calculo mais de 20 bilhões) estiveram sob a tutela desta lei e desta cultura de que,  se sou herege devo ser PUNIDO, TORTURADO, ROUBADO, PERSEGUIDO E MORTO.

3. Em 538Dc se determina pelo imperador romano JUSTINIANO que os bispos tem o poder e dever de "velar" sobre os funcionarios publicos, dando a Igreja poderes estatatais de policia do estado romano. O poder corrompe, faz com que pessoas simples ajam com violência. Faz com que justiceiros e moralistas se tornem talibãs. Isso é fato bem percebido.

4. O lastro da igreja era o imperio romano, quando este cai, como o dolar, a referencia de poder continua, podendo até tirar e colocar reis (Ex: João sem terra) 

Percebo que a exigência constante de provas documentais numa espécie de positivismo cientifico aplicado a historia, que sempre é contada pelos mais poderosos e  vencedores, tem diminuído cada vez mais as estimativas relacionadas aos milhões de assassinatos ocorridos direta e indiretamente  pela  inquisição,  e a atitude de punir hereges que remonta sobretudo desde 538 DC ou mais, contudo, temos seguido algumas linhas gerais que nos permitem ver ainda hoje, ao tamanho da crueldade imposta na idade média.

 

A Enciclopédia Britânica, na sua 11ª edição que usei como fonte para a Inquisição no outro artigo, é rejeitada pelos católicos pró-Inquisição, pois preferem seus livros sem base a uma enciclopédia de cem anos considerada por grupos pró-família como mais confiável do que as enciclopédias de hoje. Mesmo assim, os católicos pró-Inquisição se fecham em seu negacionismo, mesmo depois que o papa já pediu perdão. A Enciclopédia Britânica faz também uma descrição correta do Holocausto. Temos de aceitar a versão nazista só porque o lado culpado dos crimes não aceita a versão oficial? http://juliosevero.blogspot.com.br/2013/10/um-ativista-pro-vida-pode-defender.html

 

A exigência de provas científicas, ao contrário do que se objetiva,  pode também inviabilizar grandes verdades de serem esclarecidas, crimes por exemplo, podem ser facilmente escondidos pela exigência de provas materiais, sobretudo se eles ocorreram no distante passado. Permitir a quem tem acesso aos documentos mais originais, contar sua versão como queira, tem sido a forma "honesta" com que o mundo assiste a hipocrisia daqueles que, em nome do rigor cientifico, querem agora admitir apenas aquilo que pode ser confirmado em documentos católicos. 

Resta-nos nos esforçar para trazer a luz o maior numero de documentos possíveis, bem como deduzir diversas situações, e estimar sempre buscando perceber naquilo que restou de documentos (45 mil processos inquisitorios, equipamentos de tortura, gravuras, denuncias, modus operandi, etc..para descobrir a  ponta do iceberg daquilo que realmente existiu por mais de 1260 anos.

 

 

INQUISIÇÃO  INFORMAL E FORMALIZADA

 

Considerando a inquisição, começamos a discutir a inquisição como o dever de punir hereges e a inquisição como um órgão oficializado e organizado da Igreja.

A inquisição como "alma do negocio" iniciou bem antes de 1165 (data admitida pela igreja) pois "punir hereges", algo recomendado até pelo douto Agostinho, foi  posto em prática principalmente a partir de JUSTINIANO em 538 DC, data que pôde estabelecer tal atribuição pois somente em 538 é que Justiniano estabelece um novo Papa (Ver troca do papa Silverio pelo papa Vigilio), dá poderes politicos aos bispos e derrota as tribos heréticas arianas, 

 

O imperador Justiniano, em 529, obrigou que todos os súditos do Império se fizessem cristãos, sob pena de perderem os bens e os direitos civis. Desaparece, dessa maneira, a antiga mansidão cristã e passa-se a igualar unidade religiosa com unidade política. Assim, heresia é subversão, crime contra a unidade do Estado. http://www.pime.org.br/missaojovem/mjhistdaigrejainquisi.htm

 

Considerando que de 538 DC, data em que Justiniano acaba de destruir as tribos bábaras arianas oponentes) até o fim da revolução francesa (em 1798), quando quase se quebra quase que por completo, por Napoleão, o poder romano religioso, o mundo antigo e ocidental, estiveram sob a tutela de poderes catolicos que respiravam esta "cultura" medieval de "punir hereges", podemos  calcular que mais de 20 bilhões de pessoas viveram no mundo durante este periodo de 1260 anos (***Numero pode ser ainda bem maior, estamos revisando este ponto), dos quais alguns bilhões estiveram mais estreitamente relacionados a poderio católico e cultura católica estabelecida em todas as classes de punir hereges e considerá-los criminosos.

Dada a natureza imoral do homem, podemos imaginar os bilhões de pessoas que viviam atemorizadas, ameaçadas, torturadas e destinadas a morte por esta "cultura" de punir hereges,  presente em toda sociedade católica

Alguns poucos anos atrás lembramos  esta "cultura" da palmatoria vinda dos colegios jesuitas, dos pais violentos, de poucos anos atrás, os quais espelham por assim dizer, uma cultura  no medievalismo católico nada cristão, que atuava em nome de Cristo. 

O poder unido ao moralismo religioso pode ser bem observado hoje no Talibã, que espelha bastante a cultura religiosa da idade média, imagine bilhões de pessoas por 1260 anos sob esta cultura quantas vitimas de toda ordem deve ter produzido.


 

O carater extremamente rigido e moralista de Inacio de Loyola por exemplo, que até se auto-punia para se santificar, se tornando talvez a principal ordem da Igreja, aplicado as pessoas, exigido como normal de condita aos outros, através de todo poder de influencia que clero e estado exerciam constantemente, deve ser algo para se raciocinar

 

 

 

 

MINHA RESPOSTA AOS CATÓLICOS QUE ME AGRIDEM

 

Não é de admirar que os católicos, em nome de Jesus e da sua santa igreja, estejam me acusando, ofendendo,  difamando, e se possível, creio que da tanta violência nas palavras, até me matariam e me mandariam para alguma fogueira.

Não ofendi vocês, a nenhum de vocês, ofendi uma corporação sem alma, assassina, uma empresa religiosa, que vc defendem com unhas e dentes. Essa atitude violenta nas palavras, segregária, exclusivista, parcial, apenas confirma que vocês se assemelham aos que,  durante 1260 anos,  não respeitaram o mandamento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo que disse para não ofendermos as pessoas.

Portanto, antes de ficaram enraivecidos peço que leiam e obedeçam as palavras de Jesus:

 

E os seus discípulos, Tiago e João, vendo isto, disseram: Senhor quer que digamos que desça fogo do céu e os consuma como Elias também fez?Voltando-se, porém, repreendeu-os, e disse: Vós não sabeis de que espírito sois.Porque o Filho do homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las. Lucas 9:54-56

Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno. Mateus 5:22

 

 

ANÁLISE DOS  MILHÕES DE ASSASSINADOS PELA IGREJA CATOLICA ROMANA

 

A primeira coisa que devemos contrastar aqui é Jesus, que veio para morrer e pedir que morramos por ele e NUNCA matemos por ele.

O poder Romano investiu poder naqueles da  igreja que se submeteram a ponto que estes  líderes atrelados ao poder,   ultrapassassem a ordem e exemplo de Cristo, negassem o evangelho, e atuassem  para torturar, e recomendar a morte em nome da doutrina,  durante principalmente 1260 anos, entre 538DC e 1798DC ao fim da revolução francesa.

Muitas mortes foram indiretas - Matar em nome da doutrina foi considerado algo bom. Se estabeleceu no mundo a norma de conduta "correta" de matar em nome de Cristo, em nome da Igreja, em nome de Deus, em nome dos bons costumes, em nome da ordem, em nome do papa, em nome da rosa. ESTABELECEU-SE TAL CULTURA NO MUNDO CRISTÃO que representa por parcela da população mundial. Reis, oficiais, e o populacho MATAVA, ROUBAVA, TORUTURAVAM e cumpriam assim o desejo e a vontade de "Deus”. Justiceiros em nome do "bem" sempre existiram.

A idéia de punir hereges e matá-los se estabeleceu em especial com o imperador católico JUSTINIANO principalmente a partir de 538DC quando este imperador estabelece códigos (alguns permanecem ATÉ HOJE). Na época dele, em nome da Igreja, do resgate do império romano, ele matou bem mais de 200 mil pessoas, incluindo quase varreu  da terra 3 tribos bárbaras cristãs arianas que impediam a hegemonia doutrinaria da igreja (Hérulos, Vândalos e Ostrogodos) .

A "fórmula que sintetizava todo o seu programa político era: “Um Estado, uma Lei, uma Igreja”  que é semelhante a mentalidade da Igreja durante toda idade média que as vezes dominava e/ou influenciava fortemente sobre todos os imperios da europa e das colonias.  

http://fontehistorica.wordpress.com/2011/05/21/aspectos-do-governo-de-justiniano/ 

JUSTINIANO representou o início do poder politico-religioso dado a Igreja ao estabelecer que "bispos tinham a missão de velar sobre o procedimento dos agentes imperiais. E desde então os padres nunca deixaram de se meter em negócios seculares ATÉ HOJE.

É importante salientar que um católico  hoje acha que pertence a apenas uma igreja e não a uma forma politica de dominio romano, pois desconhece que esta igreja sofreu grande transformação em JUSTINIANO, o qual depôs o papa Silvério  e elegeu o papa Vigilio que seguisse a ORDEM QUE SE ESTABELECEU ATÉ 1798DC.

Desde então, o Católico romano desconhece as profecias nas quais claramente se observa a realção deste poder a PONTA PEQUENA DE DANIEL 7:25, o que nos mostra que o catolicismo não exatamente  o que muitos pensam, mas é exatamente  o poder que nasce do poder romano (4º animal de Daniel) anunciado pelas profecias, pois preenche perfeitamente os dizeres proféticos.

http://pt.slideshare.net/leitemel/daniel-e-apocalipse-7225801#btnNext

 

Ou voce, meu amigo e irmão católico, inocente,  acha que uma igreja de Jesus seria capaz de promover milhões de mortes em cruzadas (exercitos cristãos destinados a matar mulçumanos) e torturar pessoas, perseguir, inquirir, roubar???? PENSE!!!

 

QUANDO VC DECIDIR ESTUDAR AS PROFECIAS DE DANIEL 7 VAI PERCEBER CLARAMENTE QUE O PODER RELIGIOSO ROMANO NÃO É IGREJA, MAS É UM CHIFRE DESCRITO QUE MATARIA MUITAS PESSOAS E MUDARIA OS TEMPOS E A LEI. 

 

Assim se instalou o ESPIRITO DA INQUISIÇÃO com Justiniano em nome da fé, da doutrina e da igreja romana:

 

-Justiniano contruiu a IGREJA DE SANTA SOFIA que permaneceu como maior igreja católica durante 1000 anos.

 

-General Belizário de Justiniano contém rebelião. Trinta a quarenta mil rebeldes mortos; parentes de Anastácio são executados.

 

-Foi atribuída aos bispos a missão de velar sobre o procedimento dos agentes imperiais.

 

-- Justiniano é o tipo acabado de Cesaropapismo (acúmulo de poder político, militar e religioso).

 

- Judeus da Palestina sofreram perseguição; sinagogas destruídas; nas que permaneceram proibição da leitura do AT no hebraico.

 

- Investiu contra o paganismo; mandou fechar a Escola Filosófica de Atenas; Ordenou em seguida, a conversão em massa dos pagãos.

 

- Em 527 e 528, tomou severas medidas contra os monofisitas: excluídos de funções públicas e funções liberais, assembléias extintas e parte dos direitos civis cassados.

 

- Exterminou três tribos arianas e depois um papa que havia sido eleito pelos ostrogodos, exterminados em 538 em nome da Igreja, da doutrina, da restauração do império romano, de uma única lei e fé.

 

Bom, tendo revisado este poder de punir hereges e agir sobre os negócios do estado, percebemos que a INQUISIÇÃO na verdade vai muito mais alem de 800 anos de atuação, mas ela remonta ao ano 538DC até o fim da revolução francesa em 1798. A inquisição ainda continua atuando um século seguinte, mas se extingue.

 

Aqui temos uma estatística da população mundial, tendo em vista que boa parte da população mundial já era cristã. Tanto no ocidente quanto no ORIENTE TAMBEM, lembrando que imperador romano do muno antigo Constantino se estabeleceu a nova capital do império agora "cristão" em Constantinopla em 330DC.  DISTANTE 1700 km de Roma ocidental gerando domínio e influencia no vasto mundo antigo. (****percebam como era vasta a área de Roma no mundo antigo)

 

 

 

Ou seja, em 538 tínhamos um grande percentual do mundo sob o poder da igreja pretensamente "cristã".

 

Agora, DEPOIS DE PERCEBERMOS que a essência da inquisição é punir hereges (de onde nasceu cruzadas, inquisição e outros horrores?) e de entendemos que o grande império mundial romano se tornou cristão a partir de Constantino e que este atuou NÃO SOMENTE NA EUROPA, mas muito mais no oriente, vamos aos CALCULOS das possíveis vitimas

 

POPULAÇÃO MUNDIAL DESDE O ANO 500 e PERCENTUAL DE CRESCIMENTO

 

-500 100.000.000 0, 1286%

 

Multiplique no intervalo de 25 anos pessoas nascendo e morrendo, inclusive morrendo por perseguição, punição de hereges, etc.

 

-400 123.000.000 0,2072%

-200 150.000.000 0,0993%

1 170.000.000 0,0623%

14 171.000.000 0,0451%

200 190.000.000 0,0567%

350 190.000.000 0,0000%

400 190.000.000 0,0000%

500 195.000.000 0,0260%

600 200.000.000 0,0253%

700 210.000.000 0,0488%

800 220.000.000 0,0465%

900 242.000.000 0,0954%

1000 265.000.000 0,0908%

1100 320.000.000 0,1888%

1200 360.000.000 0,1179%

1250 360.000.000 0,0000%

1300 360.000.000 0,0000%

1340 370.000.000 0,0685%

1400 350.000.000 -0,0926%

1500 425.000.000 0,1943%

1650 545.000.000 0,0000%

1700 610.000.000 0,2256%

1750 720.000.000 0,3321%

1800 900.000.000 0,4473%

1850 1.200.000.000 0,5770%

1875 1.325.000.000 0,3972%

1900 1.625.000.000 0,8197%

 

TOTAL: Se em 1798 já tínhamos no mundo um bilhão de pessoas , o acumulo de população entre 538 e 1900 , calculo que teremos a soma de mais de 10 bilhões de pessoas, mas não só isso se for considerar os que nasceram e morreram retardando o crescimento populacional, inclusive morreram por ASSASSINATOS DA IGREJA, DAS INTRIGAS QUE ELA FEZ PROMOVENO GUERRAS RELIGIOSAS, teremos um numero muito maior que apenas 10 bilhões de pessoas no mundo...ou seja, se o cristianismo tivesse apenas 30% da população antiga, teríamos em torno de no mínimo cinco bilhões vivendo na face da terra entre 538DC (quando é um início MARCANTE no costume católico romano de punição e assassinato de hereges) que é a ALMA DA "SANTA INQUISIÇÃO".

 

REFERENCIA: DELONG, B; COHEN, J E "Estimating World GDP, One Million B.C. - Present" Disponivel em <http://www.j-bradford-delong.net/TCEH/1998_Draft/World_GDP/Estimating_World_GDP.html> Acesso em 19 de maio de 2008

 

“Inquisição não aconteceu apenas na Europa mas em todos os lugares onde se fazia presente o poder politico-religioso católico, inclusive em todos os países colonizados como o Brasil, e estava sempre influenciando poderá, “velando sobre autoridades”“ e punido hereges" como determinou o imperador JUSTINIANO EM 538, inclusive escravos e povos de outras religiões, uma vez que JUSTINIANO  estabeleceu que deveria haver uma UNICA  igreja e a Igreja católica sempre defendeu este exclusivismo religioso condenado por Jesus em Lucas 9 (ao liberar que outro homem de outro grupo fizesse as mesmas coisas que seus discípulos)  e  João 4 (ao explicar que não existe lugar certo, mas espírito correto apenas) e Paulo em Efésios 2 e 3 o qual explica o FIM da mentalidade judaica exclusivista quando a graça divina abraça a todos os povos sem distinção, judeus com lei e gentios sem lei.

 

A inquisição durou com este nome 800 anos (XI A XAX) mas se formos considerar o poder político dos sacerdotes de punir herege o espírito e a essência dela começa em 538 com o imperador Justiniano concedendo este poder aos sacerdotes

 

2. Existe claramente uma tentativa de apagar os horrores da inquisição, amenizar sua atuação, diminuir numera de mortos diretos e indiretos , extremamente partidarista por parte de historiadores defensores da igreja católica que representam boa parte de estudiosos das universidades católicas e boa parte de pessoas , perfazendo um percentual da população do mundo. 

 

3. Quando falamos em mortes indiretas, FALAMOS DE TODA ATUAÇÃO CONJUNTA que as pessoas, em nome da cultura de morte estabelecida, agiam em conformidade aos ensinos do evangelho da morte ensinado pela "santa" igreja que se diz de Jesus, que morreu por nós.

 

4. Enquanto o Brasil recebia 2 milhões de imigrantes , os EUA que recebia refugiados da inquisição em busa de liberdade recebia 20 milhões. O propio esforço em sai da europa revela o perigo de vida que morar ali representava aos protestantes.

 

 

Daniel 7

http://fontehistorica.wordpress.com/2011/05/21/aspectos-do-governo-de-justiniano/

http://www.espada.eti.br/n1676.asp

http://pt.wikipedia.org/wiki/Constantino

http://igrejaadventista.no.comunidades.net/index.php?pagina=1413723312_04

http://pt.wikipedia.org/wiki/Justiniano

 

 

 INTERPRETAÇÃO EM MAIÚSCULAS E, quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantarão dez reis; TRIBOS BARBARAS e depois deles se levantará outro,JUSTINIANO o qual será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis.VANDALOS HERULOS E OSTROGODOS , TIROU O PAPA SILVERIO E ESTABELECEU O PAPA VIGILIO E DEU PPODERES DE VELAR FUNCIONARIOS DO IMPERIO E PUNIR HEREGES 
E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, CRUZADAS E INQUISIÇÃO e cuidará em mudar os tempos e a lei; DEZ MANDAMENTOS DO CATECISMO MUDADO E PRINCIPIOS ETERNOS DO CRISTIANISMO e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. 1260 ANOS DE 538DC AT´1798DC

Daniel 7:24-25

 

 

APOCALIPSE 13 ..AS DUAS BESTAS - INTERPRETAÇÃO EM LETRAS MAIÚSCULAS 1E eu pus-me sobre a areia do mar, e vi subir do mar POVOS VEJA APOC 17 uma besta MESMO ANIMAL DE DANIEL 7 QUE É ROMA que tinha sete cabeças SETE FORMAS DE GOVERNO e dez chifres REINOS BARBAROS QUE NASCERAM DE ROMA OCIDENTAL E DERAM ORIGEM A EUROPA , e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de blasfêmia.NÃO SEI

2E a besta que vi era semelhante ao leopardo GRECIA A MENTALIDADE DA GRECIA PREVALESCEU SOBRE ROMA E SOBRE O CRISTIANISMO FISLOSÓFICO, e os seus pés como os de urso MEDOS E PERSAS, ROMA ERA ECLETICA EM ABSORVER ASPECTOS DOS OUTROS REINOS , e a sua boca como a de leão BABILONICOS ; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio.SATANÁS QUE OFERECEU ESTE MUNDO A CRISTO DÁ SEU PODER DE DOMINAÇÃO A ESTE IMPERIO ROMANO

3E vi uma das suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após a besta.ROMA OCIDENTAL CAIU EM 476, MAS ROMA ORIENTAL PERMANECEU, MAS A CABEÇA DE ROMA OCIDENTAL FOI CURADA POR JUSTINIANO, IMPERADOR ROMANO ORIENTAL, QUE RESTAUROU ROMA OCIDENTAL E ESTABELECEU O PODER DA IGREJA SOBRE O IMPERIO ROMANO, FEZ MONTAR A IGREJA SOBRE A BESTA, DANDO-LHE RIQUEZA, INFLUENCIA E PODER PARA PUNIR HEREGES, FISCALIZAR OS FUNCIONARIOS DO IMPERIO

4E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela?ADORAÇÃO IMPLICA EM QUE O PODER ROMANO DO 4º ANIMAL DE DANIEL SE TORNOU RELIGIOSO, E AS PESSOAS TENDEM A ADORAR COISAS GRANDIOSAS, SUNTUOSAS, CATEDRAIS, ETC..JUSTINIANO CONSTRUIU 

5E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses.42 MESES VEZES 30 DIAS (ANO LUNAR JUDAICO) = 1260 dias proféticos que na Biblia pode ser interpretado como 1260 ANOS pois há casos de dias representando anos em numeros 14 e ezequiel 4, QUANDO JUSTINIANO EMPOSSOU A IGREJA PARA LEVANTAR O PODER ROMANO CAÍDO (529-540) ESTABELECENDO SEGUNDO HISTORIADORES EM 538 QUANDO TIROU OS OSTROGODOS DO PODER , DESAPOSSANDO O PAPA SILVERIO E COLOCANDO VIGILIO, SEGUIU O CESAROPAPISMO ONDE O BISPO DE ROMA PASSOU A TER RELEVANCIA IMPERIAL E RELIGIOSA SOBRE O MUNDO, ESTE PODER RELIGIOSO PASSOU A SER VIOLENTO NEGANDO A MANSIDÃO DE CRISTO E DO EVANGELHO, MATAR, PERSEGUIR, TORTURAR, INQUISIÇÃO, CRUZADAS, INDULGENCIAS, ETC..ESTE PODER DUROU POR MAIS DE 1000 ANOS...SENDO O FIM DA REVOLUÇÃO FRANCESA QUANDO O PAP FOI EXILADO E OS BENS DA IGREJA, HERDADOS DE SUA RELAÇÃO COM O IMPERIO ROMANO, FORAM CONFISCADOS POR NAPOLEÃO BONAPARTE EM 1798...O TEMPO ENTRE 538 E 1798 É EXATAMENTE 1260 ANOS, OU NO MINIMO, EM TORNO DESTE VALOR. 

6E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu.ENTENDO QUE O CATOLICISMO PROMOVEU A DIFAMAÇÃO DO EVANGELHO, AO MATAR, TORTURAR, FAZER CRUZADAS, NUNCA O NOME DE JESUS FOI TÃO VILIPENDIADO DO QUE PELA PÉSSIMA REPRESENTAÇÃO DA IGREJA QUE DIZIA REPRESENTÁ-LO (COM EXCEÇÃO DE MUITOS BONS CRISTÃOS CATÓLICOS É CLARO)

7E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.O TALIBÁ CRISTÃO DA IDADE MÉDIA PROMOVEU UMA CULTURA DE CAÇA AOS HEREGES DESDE JUSTINIANO QUE DEVE TER RENDIDO SEGUNDO HISTORIADORES ANTIGOS MAIS DE 100 MILHÕES DE MORTOS DIRETOS E INDIRETOS POR ESTA CULTURA ESTABELECIDA POR MAIS DE 1000 ANOS NO MUNDO, APESAR DE MUITOS TRABALHOS ATUAIS TENTAREM REDUZIR ESTE NUMERO http://igrejaadventista.no.comunidades.net/index.php...

8E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.O IMPERIO ROMANO NA SUA FORMA RELIGIOSA RECEBE ADORAÇÃO DE QUASE TODO MUNDO

9Se alguém tem ouvidos, ouça.

10Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a paciência e a fé dos santos.A IGREJA FUGINDO DO PROPOSITO DE DEUS PARA COM O QUE SERIA UMA IGREJA, PASSOU A SE TORNAR UM PODER CIVIL NA IDADE MEDIA, ESTABELECENDO UM DOMINIO RELIGIOSO POLITICO TERRIVEL - IDADE DAS TREVAS

11E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como o dragão.
ESTADOS UNIDOS DA AMERICA
12E exerce todo o poder da primeira besta na sua presença, e faz que a terra e os que nela habitam adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada.ADORAR A IMAGEM REPRESENTA , O MESMO ESQUEMA, IGREJAS DOMINANDO ESTADO E IMPONDO AS PESSOAS DOGMAS RELIGIOSOS COMO SE FOSSEM LEIS

13E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens.
MILAGRES DEMONIACOS
14E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presença da besta, dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia.
DIZENDO QUE A IGREJA DEVE MANDAR DE FORMA CIVIL NOS HOMENS, QUANDO A FUNÇÃO DA IGREJA É ESTABELECER O REINO DE DEUS NOS CORAÇÕES EM AMOR DE FORMA INVISÍVEL, ÍNTIMA- VEJA UM CASO DE UGANDA POR EXEMPLO, QUEIMANDO GAYS VIVOS, ISSO É IMAGEM DA BESTA , JESUS NÃO VEIO DESTRUIR OS HOMENS MAS SALVA-LOS - PAÍSES ISLÂMICOS QUE MATAM EM NOME DA FÉ SÃO IMAGEM DA BESTA - TODA ATITUDE DÉSPOTA EM NOME DE DEUS É IMAGEM DA BESTA, SEJA DA DIREITA CONSERVADORA, SEJA DA ESQUERDA RADICAL
15E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.PODER ASSASSINO EM NOME DE DEUS

16E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas,PODE SER UM TIPOD E BIOMETRIA? NÃO SEI

17Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.AS PESSOAS MATERIALISTAS QUE COLOCAM O CONFORTO, DINHEIRO, COMERCIO, EM PRIMEIRO LUGAR SÃO AS PRIMEIRAS CANDIDATAS A ADERIR O SISTEMA GLOBALIZADO COMERCIAL INSTITUIDO PARA CONTROLAR TODAS AS PESSOAS

18Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.
NUMERO DE HOMEM REFERE-SE A UM PODER HUMANO NO LUGAR DO PODER DE DEUS
 

 

 

 

História da Igreja

O tribunal da Inquisição
IGREJA E ESTADO

cristianismo foi o primeiro sistema religioso a defender a legítima separação entre a Igreja e o Estado e a liberdade de consciência. A Igreja, repetidas vezes, criticou a intromissão das autoridades na vida religiosa. Foram muitos os mártires até que, em 313, o imperador Constantino declarasse a liberdade religiosa no Império Romano. Deste modo, o cristianismo consagrou a liberdade de consciência e a dualidade entre religião e política, entre Igreja e Estado.

Infelizmente, com a liberdade e com o crescimento numérico, alterou-se o comportamento cristão, retornando ao antigo espírito romano onde o imperador, para garantir a unidade do Império, exigia a unidade religiosa.

A legislação foi alterada em 380, com o Edito de Tessalônica: toda a população ficou obrigada a professar o cristianismo e, em 386, na Espanha, houve a primeira condenação à morte por motivos doutrinais.

No campo doutrinal, Agostinho ensina que o bem da verdade e da unidade é mais importante do que o da liberdade, e aceita obrigar o herege à sã doutrina.

O imperador Justiniano, em 529, obrigou que todos os súditos do Império se fizessem cristãos, sob pena de perderem os bens e os direitos civis. Desaparece, dessa maneira, a antiga mansidão cristã e passa-se a igualar unidade religiosa com unidade política. Assim, heresia é subversão, crime contra a unidade do Estado.

A CRISTANDADE MEDIEVAL

O conceito da primazia da verdade e da unidade sobre a liberdade acabou triunfando e a antiga Igreja perseguida torna-se perseguidora.

A teologia caminha em duas direções:

a) ninguém pode ser obrigado a crer;

b) ninguém tem a liberdade de se desviar da verdadeira fé ou perdê-la. Santo Tomás afirma que, se quem falsifica moeda deve ser morto, muito mais o deve quem falsifica a fé. A Igreja deve ter paciência, admoestar o herege mas, se ele continuar no erro, deve ser entregue às autoridades a fim de que seja exterminado pela morte.

Os bispos eram os responsáveis naturais pela defesa da fé e denúncia dos hereges. Como nem sempre eram muito zelosos, são criados tribunais de caça e julgamento de hereges: nascia a Inquisição.

O Papa Alexandre III (1159-1181) estendeu a toda a Igreja o Direito Canônico, que determinava a intervenção ativa diante do desvio da fé. Fala-se agora em guerra contra os hereges, cruzada contra os infiéis, especialmente contra os cátaros no sul da França. Em 1209, foi atacada a cidade de Béziers e 7 mil pessoas são queimadas vivas dentro de uma igreja.

A legislação torna-se sempre mais dura e o papa Lúcio III, em 1184, estabelece o direito penal a ser aplicado contra os hereges. Todos, autoridades e leigos, estão obrigados a denunciar os hereges sob pena de perderem os bens. Por que essa mudança? É que sempre mais se misturam os interesses do Estado com os da Igreja, e papas e reis estão empenhados na unidade da fé para garantir a unidade política.

A unidade religiosa é confundida com o bem comum e os reis são os mais ativos na caça aos hereges, que lhes pareciam uma ameaça à ordem interna. Os castigos cruéis provém mais dos príncipes do que dos papas.

PENA DE MORTE


Tribunal de Inquisição - Torquemada

Em 1199, o papa Inocêncio III qualifica a heresia de crime de lesa majestade (crime contra o rei, o Estado, traição). Como para esses crimes o Estado aplicava a pena de morte, defende-se a mesma pena para os hereges que não quisessem se emendar.

O IV Concílio de Latrão (1215) elevou este princípio à doutrina para toda a Igreja, ordenou que os hereges fossem caçados em todos os lugares, não se arrependendo tivessem os bens confiscados e entregues ao Estado para a pena devida (serem queimados). Seus herdeiros também sofriam o confisco dos bens e o exílio.

Frederico II, imperador alemão, foi um dos grandes entusiastas da Inquisição, pois dela gostava de se servir para assassinar todos os adversários políticos. Isso aconteceu em todos os lugares, especialmente na Espanha, onde o Tribunal da Inquisição foi confiado aos reis que o manipularam para a eliminação de opositores, judeus e muçulmanos.

INQUISIÇÃO ENTREGUE AOS MONGES

Como bispos e príncipes nem sempre fossem zelosos e persistentes na caça aos hereges, em 1232 o papa Gregório IX entregou o Tribunal às novas Ordens mendicantes, especialmente aos dominicanos. Os Inquisidores realizam um trabalho realmente “científico”, elaborando Diretórios e Manuais para os processos. A máquina funcionava na França, Itália, Alemanha, Países Baixos, Espanha. O papa Inocêncio IV chegou a admitir o uso da tortura nos tribunais (1252).

AS VÍTIMAS

Inicialmente o objeto da Inquisição era apenas a heresia, abundante na época: cátaros, albigenses, valdenses, passaginos, josefinos, esperonistas, arnaldistas, luciferianos, begardos, etc. Também era suspeito de heresia quem conversava com um herege. Com o tempo, alarga-se o campo inquisitorial, incluindo quem praticasse sortilégio, bruxaria, necromancia, feitiçaria, adivinhação, usura, incesto, sodomia, blasfêmia. O Tribunal de Igreja tornou-se a imagem de uma sociedade totalitária que não admitia o diferente.

O Manual ensinava ao Inquisidor 50 maneiras de que o demônio se servia para impedir o ato sexual, provocar impotência ou aborto.

As mulheres foram as grandes sofredoras. Entre 1627 e 1630, quase todas as parteiras de Colônia (Alemanha) foram eliminadas. As “bruxas” (geralmente mulheres de má aparência) eram culpadas de todos os males da sociedade européia. Isso foi longe: ainda em 1721, em Freising, na Alemanha, a sala das torturas era incensada, celebrava-se a missa pelo bom sucesso do trabalho e se abençoavam os instrumentos de tortura. Isso vale para católicos e protestantes, pois todas as Igrejas da Reforma (protestantes, anglicanos e calvinistas) admitiram o uso da Inquisição.

O PROCESSO INQUISITORIAL

Após a composição do Tribunal, o Inquisidor proferia um sermão exortando todos à conversão e à colaboração. Seguia-se o Edito de Graça: os que se apresentassem num prazo de 15 a 30 dias recebiam a penitência com a absolvição.

Expirado o prazo, era publicado o Edito de Fé: todos eram intimados à denúncia e os denunciados eram caçados e presos e sujeitos ao processo. A habilidade do Inquisidor fazia o réu entrar em contradição, pedir perdão, reconhecer o erro. Não se descobrindo culpas, o réu era absolvido. Havendo indícios de culpa passava pelo cárcere ou pela tortura.

A lei eclesiástica admitia a tortura, mas não por mais de meia hora e que não se quebrasse nenhum osso. Os meios de tortura eram os mesmos dos tribunais civis da época, todos horrorosos.

O réu arrependido, chegando-se à conclusão do processo, recebia penitência e era sujeito a humilhações. Se caísse novamente na heresia, a pena de morte estava garantida. Se o réu confessasse o erro, mas sem arrependimento, era colocado por meses em cárcere severo. Se mesmo assim persistisse no erro, morte pela fogueira.

As sentenças eram publicadas de forma solene: uma grande procissão, acompanhada pela multidão, levava os acusados à igreja onde eram lidas as sentenças. No pátio, erguia-se a fogueira onde eram queimados os hereges impenitentes. Normalmente a multidão gostava de assistir a esse espetáculo macabro, quer por ver o falso triunfo da verdade, que porque a cultura era mesmo cruel.

A Igreja, teoricamente, não aboliu a Inquisição, mas, no século XVIII, quando os Estados europeus a aboliram, a Igreja não teve mais meios de executar suas sentenças. A última execução de herege que se conhece foi na Espanha, em 1826.

Podemos entender o mundo em que surgiu e progrediu a Inquisição, mas nunca justificá-la. Ela é um atentado ao Senhor misericordioso e paciente, um atentado à dignidade humana, um atentado às convicções religiosas das pessoas, como se os hereges estivessem na heresia por divertimento. Não se pode anunciar o Salvador que morre pelos inimigos torturando, prendendo, matando.

A Inquisição foi possível porque deu-se mais importância ao Direito Canônico, à unidade da Igreja e do Estado do que à Escritura e aos Santos Pais.

Pe. José A. Besen

PARA REFLETIR:

1.º Como a Igreja, antes perseguida, passou a ser perseguidora?

2.º Quais as dificuldades criadas após a união da Igreja com o Estado?

3.º Quais eram as vítimas e como acontecia o processo inquisitorial?

4.º Por que o Evangelho foi deixado de lado na Inquisição?

 

Alguns historiadores calculam que 100 milhões de pessoas a inquisição levou a fogueira direta e indiretamente (porque reis, senhores e povo seguiam este modelo de justiça instituído pela igreja ) - MUITOS FORAM MORTOS apenas por portarem partes da Biblia e acusados de hereges por discordarem da igreja catolica, sendo roubados, tirados seus direitos, seus filhos, suas esposas, e sua vida - torturados, e mortos em nome de Jesus ........E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram.


A Verdadeira História da Igreja

A Inquisição da Igreja Católica Romana foi a maior desgraças que ocorrereu na história da humanidade. Em nome de Jesus Cristo, sacerdotes católicos montaram um esquema gigantesco para matar todos os "hereges" na Europa.

Como os livros de história foram em grande parte reescritos, de forma a amenizar os fatos reais, poucas pessoas conhecem os detalhes específicos de uma campanha nefanda que em 1200 anos (Doze séculos) torturou e assassinou milhares de pessoas.

A Inquisição da Igreja Católica Romana foi a maior desgraças que ocorrereu na história da humanidade. Em nome de Jesus Cristo, sacerdotes católicos montaram um esquema gigantesco para matar todos os "hereges" na Europa. A heresia era definida da forma como Roma quisesse definir; isso abrangia desde pessoas que discordavam da política oficial, aos filósofos herméticos, judeus, bruxas, e os reformadores protestantes. Em nenhum lugar nas Sagradas Escrituras Jesus matou alguém que discordasse dele, tampouco ensinou que seus seguidores fizessem isso. Nenhum dos apóstolos deu essa instrução no Novo Testamento.

Nosso precioso Salvador nunca ordenou que alguém seja morto por qualquer razão, especialmente por dureza de coração contra sua mensagem, ou por discordar dele em questões espirituais. No entanto, os católicos inquisitores regularmente partiram para a matança de seus adversários, normalmente com grande gosto e dureza de coração. Em tais matanças, o assassinato não era o bastante; antes que a vítima morresse, os pagãos gostavam de infligir a máxima dor em suas vítimas.

Os Inquisitores Católocos Romanos levavam a vítima ao ponto da morte muitas vezes, e depois paravam a tortura, de forma que a vítima revivesse e depois pudesse ser torturada novamente. 
Portanto, a monstruosidade da Inquisição está diante a humanidade como a maior evidência do satanismo inerente da Igreja Católica Romana. Aqueles que tiverem a coragem para examinar esse "fruto podre" final, verão a verdade da Igreja Católica. E não pense que Roma mudou, porque a Bíblia nos diz que um leopardo não muda suas manchas (Jeremias 13:23), e Roma se orgulha de que nunca muda. Uma prova concreta desse fato é que o papa Paulo VI (1963-1978) restaurou o Ofício da Inquisição, renomeado agora como Congregação para a Doutrina da Fé. Hoje, esse nefando Ofício da Inquisição é controlado pelo cardeal Ratzinger.

Por que o papa Paulo VI reinstituiu o Ofício da Inquisição? Será se ele sabe que o Ofício logo poderá ser necessário outra vez? Com todas as profecias sobre o aparecimento do Anticristo ocorrendo quase em conjunto, exatamente como Jesus ratificou (Mateus 24:32-34), o tempo deve ter parecido apropriado para Paulo VI reinstituir esse Ofício sangüinário, pois mesmo apesar de a Inquisição original ter matado milhares em 1200 anos (Doze séculos), a profecia bíblica nos diz que o Falso Profeta matará bilhões de pessoas em três anos e meio! Visto que o papa católico romano foi escolhido como o futuro Falso Profeta, faz sentido que o Ofício de Inquisição seja reinstalado.

Verdade Arrojada Ou Camuflagem de Sensibilidade?
Lutamos com os detalhes da Inquisição que descobrimos, pois temíamos que ao escrever de forma a expor completamente a barbaridade e a natureza anticristã da Inquisição Católica Romana, poderíamos escandalizar nossos maravilhosos leitores cristãos; temíamos que precisaríamos escrever e mostrar gravuras que ofenderiam as sensibilidades cristãs, para expor completamente a terrível, e freqüentemente pornográfica, verdade. Essa era uma ação que não desejávamos tomar.

Lendo livros de 50-150 anos atrás, vemos autores cristãos lutando com essa mesma questão; eles decidiram "sanear" a verdade de forma a não ofender a sensibilidade cristã. Portanto, seus livros escondem o horror verdadeiro da Igreja Católica Romana!

Neste fim dos tempos, em que o Anticristo está aparentemente próximo, e em que o Falso Profeta já foi escolhido e é o papa, e quando as igrejas liberais estão se tornando íntimas da própria besta que matou um número estimado de até 75 milhões de protestantes, concluímos que chegou o tempo de "tirar fora as viseiras de sensibilidade". Citaremos documentos católicos exatamente como eles foram impressos, para que você possa ver a verdadeira face dessa besta que matou entre 75-100 milhões de pessoas ao longo de 1200 anos (Doze séculos); se você acha que ficará ofendido, não leia o restante deste artigo (fique seguro de que não exibiremos imoralidade grosseira, pois já filtramos isso).

Apresentamos aqui uma extensa exposição sobre a verdadeira face da prática católica romana de adoração ocultista sob a máscara de cristianismo. No fim deste artigo, você verá como é possível que os escândalos sexuais atuais de padres pedófilos puderam ocorrer e ser ocultados pela hierarquia eclesiástica. Você verá quão duro de coração um sacerdote tinha de ser para ameaçar suas paroquianas com a Inquisição se elas se recusassem a fazer sexo com ele; verdadeiramente, tal sacerdote tinha uma "consciência cauterizada por um ferro quente", e representava a maioria dos sacerdotes católicos.
Esta é a face de Roma.

As Mulheres Penitentes eram Ameaçadas

Com a Inquisição se Não Fizessem Sexo Com o Sacerdote
Os padres ameaçavam suas penitentes no confessionário que, a menos que fizessem sexo com eles, seriam entregues à Inquisição! Tão efetiva era essa ameaça que um sacerdote agonizante revelou em 1710 que "por essas persuasões diabólicas elas estavam ao nosso comando, sem medo de revelar o segredo." (pg 36, Master-Key to Popery, Padre Givens]
Visto que tão poucas pessoas hoje estudaram até mesmo os rudimentos de história, a maioria não sabe que a Inquisição foi REAL e VERDADEIRA. A maioria das pessoas hoje não tem nenhuma idéia do barbarismo flagrante e da tortura infligida sobre os infelizes habitantes da Europa durante 1200 anos! A maioria das pessoas não tem nenhuma idéia sobre como a população inteira foi consumida pelo medo, pois batidas na porta de alguém no meio da noite significavam o começo imediato de uma morte torturante nas mãos dos inquisidores.

A acusação era equivalente à culpa.

Portanto, se um sacerdote ameaçasse uma mulher dizendo que ele iria mentir sobre ela aos oficiais da "Santa" Inquisição, ela sabia o tipo de tortura e morte que a esperava. O sacerdote poderia provavelmente delatar a mulher aos inquisidores como bruxa. Como você verá em instantes, os inquisidores tratavam as mulheres acusadas de bruxaria com especial deleite, júbilo e atenção.
Neste tratado, tentamos andar em uma linha fina entre a modéstia cristã e o desejo ardente de que você conheça toda a verdade com relação à Inquisição. Visto que muitas das vítimas eram deixadas nuas e torturadas publicamente, ou deixadas nuas e estupradas privadamente, tivemos de omitir muitas gravuras que retratavam nudez; entretanto, incluímos um par de gravuras que, ainda que retratem a nudez da vítima, fazem isso de forma a não mostrar as partes sexuais do corpo. Esperamos que sua sensibilidade não fique ofendida. Se você achar que ela possa estar sendo ofendida, pare a leitura agora.

As Gravuras Contam a História da Inquisição

Muitas das vítimas eram simplesmente queimadas na estaca, como você pode ver aqui. Normalmente, essas execuções na fogueira eram realizadas em público, para que a população visse o que acontecia com aqueles que enfrentavam Roma

Muitas das vítimas eram simplesmente queimadas na estaca, como você pode ver aqui. Normalmente, essas execuções na fogueira eram realizadas em público, para que a população visse o que acontecia com aqueles que enfrentavam Roma. Entretanto, na maioria das vezes, as pessoas que eram queimadas em público, primeiro eram torturadas privadamente. Em toda a Europa, os reis e seus súditos sabiam que os torturadores do papa eram absolutamente os melhores; eles podiam forçar "confissões" por meio de técnicas de tortura hábeis e os reis sabiam que podiam contar com eles, caso seus homens não pudessem extrair as confissões.

Veja, as confissões proviam a fina fachada de responsabilidade; o rei poderia mostrar a confissão de uma vítima ao público para convencê-lo que a tortura e a morte eram justificadas.

Um historiador secular - John J. Robinson - nos dá uma rápida e singular visão neste mundo papal tenebroso da tortura e do assassinato no ano de 1310. Escrevendo em seu livro, Born In Blood: The Lost Secrets of Masonry [Nascida em Sangue: Os Segredos Perdidos da Maçonaria], Robinson revela:
"Dois anos se passaram, e os Templários interrogados sem tortura não confessaram nada, constantemente reafirmando sua inocência ... Em resposta a uma exigência papal que a tortura fosse empregada, o rei Eduardo replicou que ela nunca tinha desempenhado um papel na jurisprudência eclesiástica ou secular na Inglaterra, de modo que ele não tinha no reino nem mesmo pessoas qualificadas que soubessem como realizá-la. Exasperado, o papa Clemente V escreveu, advertindo Eduardo que ele devia considerar o destino de sua própria alma ao mofar dessa maneira das ordens diretas do vigário de Cristo na Terra, e dizendo que iria tentar somente mais uma vez, dando ao rei o benefício da dúvida. O papa estava despachando dez torturadores hábeis à Inglaterra sob a responsabilidade de dois experimentados dominicanos; agora Eduardo não teria mais desculpas .... Diz alguma coisa da resolução do papa que ele separou tempo do seu ofício sagrado na véspera do Natal de 1310, para lidar com o problema dos prisioneiros templários. O presente de Natal dele ao povo inglês foi a introdução da tortura no sistema judicial do interrogatório." [pg 148]

Embora o imperador Constantino (ano 321) tenha iniciado a política de suprimir todas as pessoas e as doutrinas que não estavam em conformidade com o dogma oficial, a maioria dos estudiosos coloca o começo da Inquisição oficial com o papa Teodoro I (642-649), que iniciou a prática de mergulhar sua pena dentro de vinho consagrado antes de assinar a sentença de morte dos hereges. [The Magic of Obelisks, de Peter Thomkins, pg 55]
No livro Lives of the Popes, ficamos sabendo que o "vinho consagrado" com o qual o papa Teodoro I assinava esses mandados de morte era o vinho da eucaristia [McBrien, pg 105]. A Inquisição foi iniciada nesse período, e foi direcionada contra as heresias dos filósofos herméticos, isto é, os praticantes de Magia Negra da Europa.

Nesta gravura, você pode ver o medo que a Inquisição gerava entre a população geral nas aldeias e nas cidades; os agentes da Inquisição entravam na cidade, armados com a bula papal que autorizava o líder das forças papais que tinham entrado na cidade. O representante principal do Vaticano caminhava até a praça central da cidade e, cercado por soldados fortemente armados, lia a declaração papal. Uma vez que a declaração tinha sido lida, os soldados começavam a prender os "hereges" - definidos como aqueles que discordam da Igreja de Roma. O dogma romano era o padrão, não a Bíblia Sagrada.

Os católicos romanos utilizaram a dor e tortura pelo puro pânico que espalham entre as pessoas. Na gravura a seguir, vemos um bispo católico tendo seus olhos arrancados para fora das órbitas por causa de alguma heresia da qual foi acusado e não se arrependeu. O vazamento dos olhos geralmente era aplicado nas pessoas cultas porque seu meio de vida e sua paixão na vida eram o estudo acadêmico.

Depois que os olhos eram perfurados ou arrancados, essas pessoas ficavam destituídas e não podiam influenciar mais ninguém com sua "heresia".

Verdadeiramente, esses aterrorizados aldeões logo descobriram que o jugo de Roma era pesado, horrível de ser carregado e terrivelmente opressor. O jugo suave do Salvador parecia uma memória distante, perdida nas névoas de muitos séculos, oculta pelo véu da Roma pagã.

Uma vez que os "hereges" eram presos e ajuntados no local escolhido para as execuções públicas, histeria pura tomava conta dos soldados do Vaticano, ao iniciarem a matança. Os ocultistas não têm nenhuma dificuldade em ver a influência pesada e penetrante das hordas demoníacas tomando esses soldados. Uma vez que começavam a matar, ficavam repentinamente fervilhando no puro poder dos demônios. O pastor Richard Wurmbrand, narrando suas observações pessoais durante as matanças comunistas na Rússia e na China escreveu:

"As revoluções não fazem o amor triunfar. Em vez disso, matar torna-se uma mania. Nas revoluções russa e chinesa, depois que os comunistas tinham assassinado dezenas de milhões de inocentes, não podiam parar de assassinar, e brutalmente matavam-se uns aos outros ... O comunismo é uma forma de possessão demoníaca coletiva." ["Marx and Satan", Richard Wurmbrand, pg 107-108)

Os praticantes de Magia Negra podem confirmar para você que o período inteiro de 1200 anos da Inquisição representou o ápice da infestação demoníaca em toda a história européia. A "Santa" Inquisição foi "possessão demoníaca coletiva", como você verá após examinar o documento católico que justificou os 1200 anos de assassinato. Fique conosco, pois assim conhecerá a verdade.
O número de mortes foi incomensurável:

"E assim foi infligido no sul da França um dos mais ferozes massacres da história. Grupos de brigadas do norte pilhavam e saqueavam. Na Catedral de Saint-Nazaire, doze mil 'hereges' foram mortos ... Aqueles que tentaram fugir foram cortados e